Produzido por

sexta-feira, 30 de outubro de 2015

PROSPECÇÃO DA UTILIZAÇÃO DO CAPIM VETIVER NO TRATAMENTO DE EFLUENTES DE SUINOCULTURA

O estado de Santa Catarina possui o maior plantel de suínos do Brasil, sendo também o maior exportador de carne suína brasileira, tem também o maior consumo per capita do país, comportando as maiores cooperativas e agroindústrias do setor instaladas em seu território. 
O rebanho suíno ocupa uma importante fatia da atividade econômica do estado, participando com cerca de 18% de toda receita agrícola. Juntamente com toda a importância econômica ligada a atividade, temos uma importância ecológica fortíssima ligada aos dejetos provenientes da atividade. Os suínos apresentam baixa eficiência do processo digestivo, fazendo com que a suinocultura seja uma das atividades agropecuárias de maior risco ambiental. 
O estado de Santa Catarina possui a maior densidade suína do Brasil com 54,9 suínos/km², quando falamos somente da região oeste catarinense temos uma densidade de 169,1 suínos/km², em algumas sub-bacias este número pode chegar a 613 suínos/km² (Sub-bacia do Rio do Lajeado Fragosos) tornando-se uma situação preocupante do ponto de vista da segurança epidemiológica e impactos ambientais. 
O grande volume de dejetos, proliferação de bactérias e substancias poluentes, são demasiadamente preocupantes nestas áreas de alta densidade produtiva. Em estudo feito pela EPAGRI (1995 a 1998) constatou-se que 80% das águas da região estavam contaminadas por dejetos suínos. 
Há evidencias que a proliferação de insetos e emergência de linhagens de bactérias resistentes aos antibióticos estão associados aos sistemas convencionais inadequados de manejo e tratamento de dejetos. Estudos realizados em de tratamentos de esgoto sanitário através de sistemas de tratamento do tipo alagados construídos, mostram grande eficiência na remoção de nitrogênio e fósforo da água residual. Tratamentos em tanques por zona de raízes mostraram uma elevada eficiência na remoção de nutrientes, com 90,5% para fósforo total e até 93,9% do nitrogênio amoniacal. 
Em trabalho realizado por SILVA (2013) utilizando o sistema Vetiver no tratamento de efluentes líquidos de uma unidade produtiva de bovinocultura de leite, obteve resultados de redução na ordem de 95% de sólidos totais, 99% de demanda química de oxigênio (DQO), 97% demanda bioquímica de oxigênio, 93% de nitrogênio amoniacal, 88% de nitrato, 96% de nitrogênio total e 93% de fosforo. Os resultados mostram a eficiência do capim Vetiver no tratamento de dejetos provenientes de animais, consequentemente com as diminuições dos teores de nutrientes disponíveis na água, haverá a diminuição de proliferação de insetos e bactérias, que necessitam dos mesmos para proliferação. 
Todos os estudos apontam para uma eficiente redução dos parâmetros negativos causados pelo lançamento de efluentes não tratados, ou parcialmente tratados em sistemas deficitários. Através dos resultados de estudos nos mais diversos segmentos de neutralização de elementos químicos pelo sistema Vetiver, podemos afirmar que a espécie é uma alternativa promissora, viável técnica e economicamente, barateando os custos produtivos da atividade, agregando valor ecológico ao agronegócio sustentável, com um cunho ambiental muito importante, beneficiando a qualidade de vida e do meio ambiente da região.


MSc. Engenheiro Florestal  - Antônio Fernando Zimermann

sexta-feira, 2 de outubro de 2015

Congresso BRASVIAS

A BRASVIAS 2015 foi sucesso de público e crítica, o evento recebeu mais de 4 mil visitantes e reuniu os principais representantes do setor, para debates e conferências sobre concessões de rodovias e infraestrutura do país. 
A VETIVER esteve em contato com as maiores Concessionárias do país apresentando novas tecnologias na área de revegetação ambiental, obtendo um retorno positivo e fechando contratos.
Gostaríamos de agradecer a presença de todos os clientes, visitantes e congressistas que passaram por nosso stand.